segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Do ouriço ao bilhó


Gondesende está rodeada de soutos de "castinheiros" que se distinguem na paisagem pelas suas copas frondosas. Alguns, pelo seu grande porte e idade avançada, chegam a ter direito a nome próprio como o "castinheiro da senhora", do alto de "à costa", que entretanto secou.

No final do verão os ouriços abrem-se e libertam as castanhas. Apanhá-las, por entre os ouriços espinhosos e de costas vergadas, não sendo tarefa fácil é cada vez menos compensadora, pois os compradores habituais pagam pouco e, por vezes, preferem comprá-las no estrangeiro.


No inverno à lareira com lume forte assam-se as castanhas, previamente mordiscadas para não estourar. Depois de assadas e abafadas para abrandar, são esbulhadas e transformadas em bilhós.

Quando não havia televisão e as veladas cresciam pela noite fora jogavam-se os bilhós à "reboliana". Os mais "guichos" ao jogo iam para a cama com os bolsos cheios para o mata-bicho ou merenda do dia seguinte.

Sem comentários:

Enviar um comentário